03
maio

Hospitais e escolas terão que notificar tentativas de morte

Algumas das grandes causas de morte dos jovens são o suicídio e a automutilação. Pensando nisso, o governo sancionou uma lei que prevê que escolas e hospitais passem a notificar essas tentativas de morte.

A publicação dessa Lei no Diário Oficial aconteceu no fim de abril, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Hospitais, públicos e privados, devem comunicar as autoridades da saúde. Já as instituições de ensino devem informar o Conselho Tutelar.

Segundo o Ministério da Saúde, em 2016, 11.433 pessoas morreram por suicídio. Isso significa 1 caso a cada 46 minutos. Um aumento de 2,3% em relação a 2015.

O suicídio tem o intuito de matar a si mesmo. As causas são diversas, como depressão, solidão, bullying, uso de drogas, entre outros.

De acordo com a mesma pesquisa, as maiores vítimas são os homens (9,2%).

A automutilação abrange mais pré-adolescentes e jovens adultos, afetando 20% dos jovens brasileiros em 2016.

A automutilação é um dano ao próprio corpo, sem a intenção de tirar a vida, mas com intuito de machucar. A maior causa para isso acontecer é o bullying sofrido nas escolas, originando um tipo de dor emocional.

Uma prevenção eficaz e gratuita para essas tentativas de morte é o programa CVV (Centro de Valorização da Vida), que dá apoio emocional a quem precisa conversar. Só para ter noção da gravidade do assunto, em 2018 o CVV recebeu 2,5 milhões de ligações. O número para contato é 188.

Está claro que suicídio e automutilação fazem parte da realidade dos jovens e devem ser combatidos. Assim, as notificações de hospitais e escolas ajudarão no combate a morte precoce.

Dra. Patrícia Ferreira

OAB/RJ 209.366